domingo, 7 de setembro de 2014

Guardiões da Galáxia - Marvel zerando a vida e elevando o nível de dificuldade do jogo!




A alguns anos, a Warner/ DC sempre declarava que era muito difícil adaptar o universo do Lanterna Verde para o cinema. E quem discordaria? Como adaptar uma gama de seres bizarros, com todo o tipo de origem e biologia, no espaço, e tornar isso plausível?


Com o inicio do sucesso da "Era Marvel" no cinema, a mesma Warner/DC tentou colocar o nosso caro Hal Jordan e sua gloriosa tropa dos lanternas verdes no cinema em 2011. E, podemos dizer que falhou miseravelmente em sua demanda, uma vez que o filme foi um fracasso. Com roteiro fraco, atuações pobres e estética equivocada, pouco pode ser salvo, como o próprio estúdio reconheceu ao abandonar suas ideias de sequência.

No mesmo ano de 2011, a querida Marvel nos agraciaria com o início de seu universo espacial, com a entrada do Deus/ Alienígena Thor! Um lendário deus nórdico em nosso mundo, porém que não passaria de um ser alienígena no universo Marvel ( Seriam os Deuses Astronautas? rs ). Podemos dizer que o filme do Thor não foi um sucesso estupendo, mas passou longe de ser o fracasso que o senhor Jordan e sua lanterna apresentaram. 

Com isso, e mais alguns ótimos filmes Marvel, chegamos em 2014, e nos deparamos com os Guardiões da Galaxia. O filme mais arriscado da Marvel até então, retratando uma equipe de super-heróis ( não tão "super" assim) galáticos, com uma gama diversa de habilidades e espécies. E todo o "medo" associado a confecção do lanterna e do Thor se repetem, o receio de uma nova falha espacial assombra os fãs. E a cada trailer, esse medo foi sendo aplacado, e se substituindo, gradualmente, por uma expectativa, do que a Marvel estaria para nos agraciar.

E que filme, que surpresa, num ano de filmes do Homem Aranha, do Capitão América e de DUAS gerações de X-Men ( o que era para ser, o equivalente dos Vingadores da Fox), o MELHOR filme de quadrinhos do ano ter sido Guardiões. Um filme que não se leva a sério, mas que tem momentos de drama e seriedade. Um filme feito desde uma criança de 3 anos que vai amar um Ent e um guaxinim falante até um adulto de 40-50 anos, que vai sair do cinema cantarolando a fantástica trilha sonora e se perguntando o que estará no próximo Awesome Mix Vol 2 ( que solução genial para manter a "humanidade" do Star Lord e a ligação dele com a terra, sutil porem efetivo).

A apresentação dos personagens, embora rápida, é bem efetiva, deixando claro o que esperar destes. Eles são relativamente profundos, tendo expostas suas feriadas ao longo do decorrer do filme. Os vilões são desafios reais para os heróis, gerando assim um "medo" real pela segurança da "equipe". Além dos vilões, temos ótimos personagens secundários também, com destaque para o Colecionador e o inicio de seu background, algo que não havia ocorrido anteriormente em Thor 2 e ao sensacional Yondu Udonta, um pai de criação genial, cruel e ao mesmo tempo benevolente, com "A" arma, que muito em breve poderia ingressar para a equipe de guardiões de maneira definitiva ( nos quadrinhos ele é membro fundador da mesma).

A Marvel em Guardiões da Galáxia, mostrou que o mais difícil dos filmes para eles é "fácil", mostrou que se não possui 3 de suas principais franquias ( Aranha, X-Men e Quarteto), pode se virar com seus personagens secundários, terciários e ainda assim fazer sucesso ( seja de crítica, seja financeiro) e pressiona ainda mais os concorrentes ( exemplo na briga de datas de estréia, na qual Capitão América 3 ganhou de Batman x Super-Homem, isso não era para ser "normal").

Dito isto, só posso completar que estou ansioso para ouvir "We are Groot" de novo! =D



0 comentários:

Postar um comentário

Arquivo Confidencial

Parceiros